sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

4° Concurso Avistar Itaú BBA de Fotografia - "Aves Brasileiras"

Fotografe as aves brasileiras e participe!

O Concurso Avistar Itaú BBA de Fotografia revela e valoriza o talento dos fotógrafos e a beleza das aves brasileiras. Nesta quarta edição, convidamos você - fotógrafo profissional e amador - a participar deste grande desafio.

Fotografe uma ave da janela de sua casa, na cidade, no sítio, na floresta, na praia, durante suas férias de verão. De perto ou de longe, pousada ou voando, sozinha, em dupla ou em bando... sempre aves livres! Olhe o passarinho e fotografe! você vai se surpreender!

Leia o regulamento com atenção e participe!

http://www.avistarbrasil.com.br/concurso/2010

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Rumo à Qualificação

Competências Mínimas do Condutor



Esse é o curso realizado pela abeta, interessados em melhorar a qualidade e a segurança dos serviços oferecidos e aumentando nossas qualificações agora todos do grupo concluímos o curso de Competências Mínimas do Condutor do programa aventura segura.


Elaborado com base na ABNT NBR 15285, foca no desenvolvimento das competências mínimas necessárias aos condutores de Turismo de Aventura. Busca contribuir para formação de profissionais capazes de conduzir grupos com segurança e proporcionar experiências de qualidade.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL




PAPAI NOEL NÃO ESQUECE DO MEU PRESENTE........


domingo, 13 de dezembro de 2009

GVBS - PETAR

No ultimo fim de semana foi realizado o encerramento dos Curso Básico de Busca e Salvamento do GVBS PETAR, divido em 5 modulos: Técnicas Verticais em Caverna(Espeleo Vertical), Emergências Médicas (Suporte Básico de Vida) - Busca e Salvamento, Cartografia Orientação e Navegação Planejamento e Gestão. Capacitando voluntários dispostos a ajudar e pessoas perdidas ou acidentadas tanto nas cavernas como na mata.

O GVBS - PETAR tem como missão prevenção de acidentes, o apoio a ações diversas relacionadas à segurança e a realização de ações de busca e salvamento em atividades de turismo de aventura.

Agora que somos Socorrista Voluntário em Caverna do GVBS aguardamos os cursos e treinamento que são realizados ao longo do ano, mantendo nossos objetivos estando treinados e preprarados para qualque situação de emergência.

www.gvbspetar.org.br/index.htm

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Aventura Segura

Caminhar em ambientes naturais, desbravar corredeiras em botes infláveis, aventurar-se por cavernas e águas cristalinas, desfrutar tudo o que a natureza pode oferecer de forma sustentável e consciente. Essas são atividades que cada vez mais ganham o gosto popular.

O Ministério do Turismo (MTur) e o Sebrae Nacional, em parceria com a ABETA, por meio do programa Aventura Segura, atuam para que o segmento de aventura se consolide no país como atividade segura para turistas brasileiros e estrangeiros.

Maior programa voltado para o fortalecimento, qualificação e estruturação do Ecoturismo e Turismo de Aventura no Brasil, o Aventura Segura tem como foco iniciativas voltadas para o desenvolvimento com qualidade, sustentabilidade e segurança.


Campanha

fonte:http://www.abeta.com.br/aventura-segura/campanha/final/index.html

terça-feira, 17 de novembro de 2009

pesamentos

"Um homem precisa viajar por sua conta. Não por meio de historias, imagens, livros ou tv. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. (...) Um homem precisa viajar para lugares que não conhece, para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é (...)"


AMYR KLINK

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Projeto Jibóia

FUI

VI

PEGUEI
Sendo um dos atrativos de Bonito MS.
O Projeto jibóia tem como objetivo principal desmistificar as serpentes através da informação e do contato, fazer com que as pessoas passem a respeitar este animal como uma parte importante do equilíbrio no ecossistema.
informações: www.projetojiboia.com.br

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Mel e Própolis

Ao fabricar o mel e a própolis, as abelhas conseguem transmitir para estes produtos naturais os princípios ativos contidos nos vegetais, que possuem efeitos terapêuticos benéficos para a saúde do ser humano e são importantes para o equilíbrio biológico do organismo.


Mel
É um alimento, geralmente encontrado em estado líquido viscoso e açucarado, produzido a partir do néctar das flores para alimentar as larvas da colméia, o mel é um alimento milenar de fácil digestão e que constitui importante fonte de energia, composta de água (20%), proteínas (0,3%), açúcares (70%), vitaminas, sais minerais e substâncias bactericidas. Já a própolis é produzida pelas abelhas com a resina coletada de brotos de plantas para, entre outras funções, forrar a câmara onde a abelha rainha deposita os ovos e vedar a colméia. Em sua composição se destacam os ácidos fenólicos, flavonóides, terpenos, hidrocarbonetos e aminoácidos. Por causa desta composição, os estudiosos lembram que os efeitos terapêuticos do mel e da própolis vão refletir a variedade de vegetação próxima à colméia e, neste caso, o Brasil possui verdadeiros santuários ecológicos.


Própolis
A própolis a substância, de cor e consistência variadas, feita a partir da mistura de resinas e ceras que as abelhas retiram de brotos de plantas, árvores e arbustos, misturando a elas a sua saliva, e que carregam alto índice de substâncias antioxidantes e antibacterianas.
Os gregos chamavam ‘própolis’ às portas de uma cidade, voz tomada pelo prefixo ‘pro-‘ e ‘polis’ (cidade). Mais tarde, Plínio empregou esta palavra em latim para dar nome à cera – extraída da polpa das árvores – com a qual as abelhas recobrem a entrada de suas colméias a fim de protegê-las contra fungos e bactérias.As propriedades antibióticas e fungicidas desta substância, que em nossa língua se chama própole, eram conhecidas desde a mais remota antiguidade pelos sacerdotes egípcios e pelos médicos gregos e romanos, assim como por algumas culturas sul americanas.Própolis, ou própole, está vinculada através de ‘polis’ com muitas outras palavras da nossa língua, tais como político (relativo à cidade), metrópole (cidade principal) e policlínica (estabelecimento de saúde pública para atenção a uma cidade). ‘Polis’ provém do sânscrito ‘pur’ (cidade fortificada), que se encontra no nome de Singapura (cidade dos leões).De origem grega, a palavra significa ‘em defesa da cidade’ - pro (defesa) + polis (cidade).

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Orientação aos Viajantes

A Área de Orientação e Controle Sanitário de Viajantes tem como uma de suas responsabilidades estabelecer medidas para diminuir os riscos de um viajante vir a adquirir qualquer doença ou agravo de importância em saúde pública durante a viagem. Por sua vez, as empresas de transportes de passageiros devem cumprir a legislação, orientar e exigir que os viajantes apresentem os documentos necessários, além de adotar as medidas preconizadas pela autoridade sanitária frente a eventos de interesse à saúde pública. Da mesma forma, os viajantes devem prestar informações necessárias e apoiar as medidas estabelecidas. Ou seja, todos devem unir esforços para proteger a saúde da população.

A principal medida utilizada para tanto é a informação direcionada para cuidados com a saúde, que visam à prevenção ou diminuição do risco de exposição a uma doença ou agravo.

Confira medidas importantes a serem adotadas antes, durante e depois da viagem:

Antes de Viajar

Durante a Viagem

Depois da Viagem

Informações sobre doenças e agravos de interesse de saúde pública internacional

fonte: Anvisa

domingo, 27 de setembro de 2009

Caverna Morro Preto - PETAR

A caverna Morro Preto, cujo o pórtico é de 15m de altura e 10m de largura, enchem os olhos de qualquer visitante, por sua beleza. As estalactites na entrada da cavernas são forradas de tufos com musgo, dando aspectos de sinais de moradas da pré - historia. Essa caverna tem acesso a caverna do Couto, um conduto de drenagem ativa da água vinda da Serra da Onça Parda.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

quinta-feira, 23 de julho de 2009

terça-feira, 7 de julho de 2009

domingo, 7 de junho de 2009

Morro do Maluf

O Morro da Campina, também conhecido como Morro do Maluf, recebeu este nome por causa de um libanês de nome Maluf, frequentador do Cassino do Grande Hotel, que quando ganhava, comemorava realizando festas em uma grande tenda de estilo árabe montada na parte superior do morro. Todos achavam que ele era muito rico, mas um dia perdeu grande quantia de dinheiro e não apareceu mais na cidade.

Morro do Maluf se encontra entre as praias das Pitangueiras e Enseadas, e pode-se avistar uma ampla vista da Praia da Enseada e a Ilha das Cabras.

Alguns aproveitam a vista, para os mais aventurados já preferem pratica de esportes radicas: asa delta, paraglider, escalada. No nosso caso o rapel. Com aproximadamente 50 metros de altura, mesmo nao sendo tão alto assim é possível fazer uma descida radical.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

PARQUE ECOLÓGICO DE PEREQUE

Enquanto muitos vão para o interior para praticar rapel, as cachoeiras do rio Perequê são propícias à realização do esporte. Mas é necessário ter cuidado e utilizar equipamentos profissionais O acesso ao Parque Ecológico do Rio Perequê é feito pela Rodovia Domênico Rangoni, antiga Piaçaguera- Guarujá. A Estrada do Perequê, de 1,6 quilômetros, que acompanha o rio até a área de lazer do parque, parte da pista Guarujá-Cubatão.Os caminhos que levam às cachoeiras pode ser feito pelas pedras que ficam na margem do rio, mas para ter mais emoção, é possível seguir por dentro da mata. O caminho é rápido, em menos de uma hora, é possível chegar na primeira queda d’água, com sessenta metros de altura, é a maior de todas e é chamada de Véu das Noivas. Mais adiante, existe outra com pouco mais de quarenta metros. No percurso, também há vários lagos formados pelo rio. Coragem, auto-confiança e força de vontade são qualidades indispensáveis a quem se propõe chegar até o final.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

A EQUIPE


A EQUIPE
Cleide / Reinaldo / Michele / Junior / Luiz
Rapel no morro do maluf em Guarujá
Ao fundo uma bela vista da praia da enseada

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Rapel Prédio (video)

Junior em sua descida radical

A vista


Trekking em Bertioga ate uma cachoeira para prática de Rapel

terça-feira, 19 de maio de 2009

Tirolesa

A tirolesa é uma atividade esportiva de aventura originária da região do Tirol, na Áustria. Consiste em um cabo aéreo ancorado horizontalmente entre dois pontos, pelo qual o aventureiro se desloca através de roldanas conectadas por mosquetões a uma cadeirinha de alpinismo. Tal atividade permite ao praticante a emoção de voar por vales contemplando belas paisagens.

Essa atividade é praticada em campo aberto e de preferência acima de um lago. Geralmente, quando a tirolesa é praticada sobre um lago, no final do percurso o aventureiro se solta de seu equipamento e cai na água, acrescentando assim mais adrenalina e emoção.

A tensão da corda é importante para que não se forme uma "barriga" no cabo, o que prejudicaria a trajetória da carga em movimento, podendo detê-la antes do final do curso pretendido.

A tirolesa é, sem dúvida, é um dos esportes de aventura mais gostosos e emocionantes, não exigindo esforço físico do praticante e lhe permitindo sentir a emoção de voar contemplando a natureza por um ângulo diferente.

Trekking


O Trekking consiste em caminhadas por trilhas naturais em busca de lugares interessantes para se conhecer, possibilitando um maior contato com a natureza.

Os praticantes da modalidade aliam o prazer em contemplar a natureza com os benefícios da atividade física, tentando fugir do stress do dia-a-dia. Os percursos podem ser curtos ou longos, importando apenas o prazer em caminhar.

A palavra trek tem sua origem na língua africâner. Ela passou a ser amplamente empregada no início do século XIX, pelos vortrekkers, os primeiros trabalhadores holandeses que colonizaram a África do Sul .

O verbo trekken significa migrar e carregava uma conotação de sofrimento e resistência física, numa época em que a única forma de se locomover de um ponto para outro era caminhando.

Qualquer pessoa pode praticar o trekking, desde que conheça os limites do próprio corpo. sendo um ótimo esporte para quem gosta desafios em buscando autoconhecimento, superação, autoconfiança, sempre alcançado seus objetivos.

A nível de competição esse esporte também é conhecido como Enduro a pé de regularidade. Que consiste em uma trilha pré-estabelecida por uma organização onde os integrantes das equipes recebem uma planilha contendo os trechos a serem seguidos, suas velocidades e distâncias.

Existem também Postos de Controle (PC's) espalhados aleatoriamente entre os trechos são responsáveis pela verificação da regularidade.

As equipes vão munidas apenas de calculadoras, cronômetro, bússola, muito senso de direcção e capacidade de interpretação das planilhas. Nas planilhas existem informações desenhadas que ajudam a identificar as trilhas a serem seguidas.

As equipes podem ter de 3 até 6 membros, sendo ocupados por 3 funções distintas: Navegador(es), Contador(es) de passo(s) e Calculista(s).

Navegador: membro responsável por interpretar a planilha fornecida pela organização.Contador de passos: responsável por contar os passos, ou seja, controlar a distância percorrida. Também cabe ao contador de passos juntamente com calculista controlar a velocidade das passadas, ou seja, velocidade média.Calculista: faz todas as contas necessárias para a equipe se manter na velocidade média exigida pela organização. Responsável também por cronometrar o tempo de prova.

Rapel


Técnica praticada em descida de rochas, cavernas, cachoeiras, prédios, utilizando-se de cordas. A princípio era aplicada em resgates e em espeleologia; atualmente é um esporte radical associado ao montanhismo, Canyoning, alpinismo.

A técnica do rapel foi "inventada" em 1879 por Jean Charlet-Stranton e seus companheiros Prosper Payot e Frederic Folliguet durante a conquista do Petit Dru, um paredão de rocha coberta de gelo e neve, perto de Chamonix, na França.

Por ser uma atividade de risco, eles viram-se obrigados a trocarem suas cordas de algodão, que muitas vezes não duravam e se rompiam com facilidade, por equipamentos especializados e de maior resistência, surgindo assim algumas empresas pioneiras em materiais de exploração.

O rapel foi se tornando uma forma de atividade praticada nos fins de semana, à medida que as explorações e técnicas foram se popularizando, surgindo assim novas modalidades.

Até hoje, o rapel é usado para resgates, ações táticas e explorações, por ser a forma mais rápida de descer algum obstáculo.

No Brasil, o rapel apareceu há 15 anos com os primeiros espeleólogos, pessoas que exploram cavidades naturais, tais como a formação das grutas, cavernas, fontes e águas subterrâneas. Somente nos últimos anos ele tem sido visto como esporte. Os rapeleiros, como são chamados os praticantes, descem grutas, cachoeiras e até prédios utilizando um material que garante a segurança e o sucesso da descida. Durante o trajeto, é possível realizar algumas manobras na cadeirinha, como balançar admirando a paisagem sentindo a brisa no rosto e até ficar de cabeça para baixo.