quinta-feira, 21 de maio de 2009

A EQUIPE


A EQUIPE
Cleide / Reinaldo / Michele / Junior / Luiz
Rapel no morro do maluf em Guarujá
Ao fundo uma bela vista da praia da enseada

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Rapel Prédio (video)

Junior em sua descida radical

video

A vista


Trekking em Bertioga ate uma cachoeira para prática de Rapel

terça-feira, 19 de maio de 2009

Tirolesa

A tirolesa é uma atividade esportiva de aventura originária da região do Tirol, na Áustria. Consiste em um cabo aéreo ancorado horizontalmente entre dois pontos, pelo qual o aventureiro se desloca através de roldanas conectadas por mosquetões a uma cadeirinha de alpinismo. Tal atividade permite ao praticante a emoção de voar por vales contemplando belas paisagens.

Essa atividade é praticada em campo aberto e de preferência acima de um lago. Geralmente, quando a tirolesa é praticada sobre um lago, no final do percurso o aventureiro se solta de seu equipamento e cai na água, acrescentando assim mais adrenalina e emoção.

A tensão da corda é importante para que não se forme uma "barriga" no cabo, o que prejudicaria a trajetória da carga em movimento, podendo detê-la antes do final do curso pretendido.

A tirolesa é, sem dúvida, é um dos esportes de aventura mais gostosos e emocionantes, não exigindo esforço físico do praticante e lhe permitindo sentir a emoção de voar contemplando a natureza por um ângulo diferente.

Trekking


O Trekking consiste em caminhadas por trilhas naturais em busca de lugares interessantes para se conhecer, possibilitando um maior contato com a natureza.

Os praticantes da modalidade aliam o prazer em contemplar a natureza com os benefícios da atividade física, tentando fugir do stress do dia-a-dia. Os percursos podem ser curtos ou longos, importando apenas o prazer em caminhar.

A palavra trek tem sua origem na língua africâner. Ela passou a ser amplamente empregada no início do século XIX, pelos vortrekkers, os primeiros trabalhadores holandeses que colonizaram a África do Sul .

O verbo trekken significa migrar e carregava uma conotação de sofrimento e resistência física, numa época em que a única forma de se locomover de um ponto para outro era caminhando.

Qualquer pessoa pode praticar o trekking, desde que conheça os limites do próprio corpo. sendo um ótimo esporte para quem gosta desafios em buscando autoconhecimento, superação, autoconfiança, sempre alcançado seus objetivos.

A nível de competição esse esporte também é conhecido como Enduro a pé de regularidade. Que consiste em uma trilha pré-estabelecida por uma organização onde os integrantes das equipes recebem uma planilha contendo os trechos a serem seguidos, suas velocidades e distâncias.

Existem também Postos de Controle (PC's) espalhados aleatoriamente entre os trechos são responsáveis pela verificação da regularidade.

As equipes vão munidas apenas de calculadoras, cronômetro, bússola, muito senso de direcção e capacidade de interpretação das planilhas. Nas planilhas existem informações desenhadas que ajudam a identificar as trilhas a serem seguidas.

As equipes podem ter de 3 até 6 membros, sendo ocupados por 3 funções distintas: Navegador(es), Contador(es) de passo(s) e Calculista(s).

Navegador: membro responsável por interpretar a planilha fornecida pela organização.Contador de passos: responsável por contar os passos, ou seja, controlar a distância percorrida. Também cabe ao contador de passos juntamente com calculista controlar a velocidade das passadas, ou seja, velocidade média.Calculista: faz todas as contas necessárias para a equipe se manter na velocidade média exigida pela organização. Responsável também por cronometrar o tempo de prova.

Rapel


Técnica praticada em descida de rochas, cavernas, cachoeiras, prédios, utilizando-se de cordas. A princípio era aplicada em resgates e em espeleologia; atualmente é um esporte radical associado ao montanhismo, Canyoning, alpinismo.

A técnica do rapel foi "inventada" em 1879 por Jean Charlet-Stranton e seus companheiros Prosper Payot e Frederic Folliguet durante a conquista do Petit Dru, um paredão de rocha coberta de gelo e neve, perto de Chamonix, na França.

Por ser uma atividade de risco, eles viram-se obrigados a trocarem suas cordas de algodão, que muitas vezes não duravam e se rompiam com facilidade, por equipamentos especializados e de maior resistência, surgindo assim algumas empresas pioneiras em materiais de exploração.

O rapel foi se tornando uma forma de atividade praticada nos fins de semana, à medida que as explorações e técnicas foram se popularizando, surgindo assim novas modalidades.

Até hoje, o rapel é usado para resgates, ações táticas e explorações, por ser a forma mais rápida de descer algum obstáculo.

No Brasil, o rapel apareceu há 15 anos com os primeiros espeleólogos, pessoas que exploram cavidades naturais, tais como a formação das grutas, cavernas, fontes e águas subterrâneas. Somente nos últimos anos ele tem sido visto como esporte. Os rapeleiros, como são chamados os praticantes, descem grutas, cachoeiras e até prédios utilizando um material que garante a segurança e o sucesso da descida. Durante o trajeto, é possível realizar algumas manobras na cadeirinha, como balançar admirando a paisagem sentindo a brisa no rosto e até ficar de cabeça para baixo.